Sunday, October 19, 2008

Você gostaria do Eurico no seu time?


Essa é uma pergunta que eu sempre faço quando alguém menciona quão admiradores são da forma que o Eurico conseguia ganhar todas as disputas no “tapetão”. Nos anos 90 nem no par ou impar o Vasco perdia.  Estava eu em uma roda de amigos onde todo mundo era ligado ao futebol, eu era o único que nunca fui profissional e as teorias eram diversas.  Uns diziam que o Eurico era poderoso porque sabia se impor, outros diziam que era o mandato de Deputado Federal e ainda que ele tinha batia um tambor. Mas qual seria o segredo do Eurico?

Se truculência ganhasse alguma decisão,  enquanto Montenegro fosse colaborador o Botafogo não perderia nenhuma decisão. Montenegro parte para cima e derruba qualquer um na base da peitada e os adversários tremem porque como dono do IBOPE, poder ele tem.  Então logo se impor não era resposta.

Entretanto não creio que um mandato de Deputado seria o segredo, porque dentro do Botafogo existem vario políticos inclusive o Deputado João Figueira, que figurava na lista de beneméritos ventilados como um dos possíveis sucessor do presidente Bebeto de Freitas.

Todavia concordamos em um ponto: seria ignorância pensar que seria algo de natureza sobrenatural porque como dizia meu pai: "Se macumba ganhasse jogo o Bahia era hexacampeão brasileiro e tetra da libertadores.”

Então chegamos a um denominador comum: Eurico tinha alianças de poderosos dentro do futebol. Primeiramente ele tinha todos os votos dos times do interior, o que fazia ser uma figura imprescindível na federação do Rio. Sem ele o Caixa D’água nunca chegaria a perpetuar tanto tempo no poder da FFERJ.  Eurico lutou contra os três grandes do Rio e acabou com qualquer possibilidade da criação de uma liga independente o que marcaria o fim da FFERJ em 2005.

Agora olhe por outro ângulo: O TJD-RJ e a COAF-RJ (Comissão de Arbitragem de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) são órgãos custeados e ligados a FFERJ, assim como STJD é custeados pela CBF.  Eurico tinha o mundo da bola na palma da mão, mas felizmente como dizia o provérbio: “Não ha mal que dure para sempre”.  No meu time não!

1 comment:

DJ Mirai said...

Eurico infelizmente é um mal necessário (pro Vasco)